Ocorreu um erro neste gadget

Translation

Aos Leitores

OBRIGADO

спасибо - Rússia
Merci - França
Thank you - Canadá e EUA
Gracias - Espanha
Obrigado - Brasil e Portugal
Tak - Dinamarca
Dank - Alemanha
Dankzij - Holanda
Díky - República Tcheca
Hvala - Croácia

IMAGENS

SUZANO (1915) Suzano PINACOTECA Pinacoteca MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA museu-da-lingua-portuguesa ESTAÇÃO DA LUZ estacao-da-luz-em-sp MUSEU DO IPIRANGA o_jardim_do_museu_do_ipiranga PLANETÁRIO Planetario Ibirapuera PLANETAS planetas - planetas MAPA DO BRASIL Mapa do Brasil MAPA MUNDI Mapa Mundi

ESCOLAS ESTADUAIS DE TEMPO INTEGRAL

Escolas estaduais de tempo integral têm 50 mil novas vagas

Categoria São 532 unidades com jornada diária de até 9 horas e meia; ensino fundamental e médio são atendidos

A rede de ensino paulista começa o ano letivo com 50 mil novas vagas em escolas de tempo integral no estado. Com a inclusão de mais 39 unidades neste modelo, são  532 distribuídas pela capital, região metropolitana e interior. No Portal da Educação (www.educacao.sp.gov.br) é possível fazer uma busca por município e escolher a escola mais próxima.
Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook
O ensino de tempo integral se destaca por levar aos alunos um currículo inovador e uma estrutura física com laboratório e espaços de aprendizagem. Além das disciplinas previstas na base nacional (Língua Portuguesa, Matemática e Ciências), a grade inclui matérias eletivas organizadas em parceria entre alunos e docentes.
Aos alunos do 1º ao 5º ano, por exemplo, a parte diversificada é composta por aulas livres de educação socioemocional, experimentação científica e até assembleia.
Já os docentes trabalham em regime de dedicação exclusiva. Assim, a jornada diária é dividida entre a sala de aula, as atividades de tutoria e a pesquisa. Em contrapartida, esses profissionais recebem uma gratificação de 75% em relação ao salário base. Um processo seletivo, que considera o tempo na rede e as habilidades, é realizado todos os anos.
Rendimento superior
A extensão da jornada de estudo é uma das apostas da Secretaria para aprimorar o ensino em São Paulo. O resultado já pode ser visto nas avaliações internas e externas da rede. No Idesp, índice que mede o rendimento dos ciclos em Língua Portuguesa e Matemática, as escolas de Ensino Médio em tempo integral registraram um crescimento de 26%. Além do modelo, São Paulo investe em Centros de Línguas, programas de tecnologia e ferramentas de estudos que também visam ampliar o tempo de estudo dos alunos.
 
Category: 0 comentários
 Inclusão social de alunos e professores travestis e transexuais é pauta na Educação

Secretaria realiza inúmeras ações para a inclusão de transexuais e travestis na rede

No próximo dia 29 de janeiro, é celebrado o Dia Nacional da Visibilidade de Travestis e Transexuais, data importante que marca a luta contra a transfobia e a maior visibilidade e direitos humanos para a comunidade transexual no Brasil. Nas últimas décadas, o tema marcou um avanço na política de justiça social e de direitos humanos no Estado de São Paulo. Um exemplo disso foi a criação da Lei Nº 10.948, em 2001, e que aplica penalidades sobre a prática de discriminação em razão de orientação sexual e identidade de gênero.
Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook
Na área socioeducativa, por exemplo, Secretaria da Educação realiza diversas ações e programas com o intuito de garantir a inclusão e a diversidade de estudantes, professores e funcionários travestis e transexuais. Entre os destaques, estão palestras, seminários e oficinas sobre o assunto, além de orientação técnica da equipe para a diversidade sexual e de gênero da Secretaria.
A Educação também oferece videoconferências e cursos de formação continuada sobre a temática por meio da Rede do Saber, que integra a Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores (EFAP), além de documentos que visam auxiliar o educador em metodologias de trabalho e tratamento nominal de discentes travestis ou transexuais, que têm direito de serem chamados exclusivamente pelo nome social, conforme a Deliberação do Conselho Estadual da Educação, resolução nº 45.

Tais ações e práticas são oriundas do II Plano Estadual de Enfrentamento à Homofobia: metas e ações da Secretaria da Educação, aprovado em 2013 pela Educação por meio do Comitê de Políticas Educacionais. A ação norteia a comunidade transexual no enfrentamento às práticas discriminatórias nos ambientes educacionais, formações de professores para lidar com questões envolvendo à sexualidade e também a produção de materiais educativos para o uso nas salas de aula.
“As ações desenvolvidas pela Secretaria da Educação para travestis e mulheres e homens transexuais buscam garantir o reconhecimento da identidade de gênero e assegurar uma educação pública equânime e de qualidade. Isso pode ser identificado na ampliação dos direitos como a instituição do uso do nome social, nos investimentos na formação dos recursos humanos e na produção de subsídios pedagógicos”, afirma Thiago Sabatine, professor responsável pela Equipe Técnica de Educação para a Diversidade Sexual e de Gênero da Coordenadoria de Gestão da Educação Básica (CGEB).
Número de alunos travestis e transexuais na rede
Em setembro de 2015, a Educação constatou 182 registros de indicação de nome social no Sistema de Cadastro de Alunos, sendo 148 registros de uso do nome social por mulheres (81%) e 34 por homens (19%). Com relação à modalidade de ensino, 110 alunos estão matriculados na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Já nos ensinos Fundamental e Médio, estão matriculados 72 alunos (as), número que corresponde a 40% do total.
Destaca-se ainda que 31 estudantes com nome social estão matriculados no turno da manhã. Já no turno da tarde são apenas oito. O período noturno é o que mais registra travestis e transexuais. Ao todo, são 142 estudantes, que correspondem a 78% do total. Além disso, a Educação possui um aluno no turno integral.

No ano de 2008, a Secretaria propôs um currículo básico para as escolas da rede estadual nos níveis do Ensino Fundamental e Ensino Médio, com o objetivo de apoiar o trabalho realizado nas unidades de ensino. Uma das metas da iniciativa é o desenvolvimento dos jovens na construção da identidade, da autonomia e liberdade, do aprendizado e respeito às diferenças e às regras de convivência com os diferentes tipos de orientações sexuais.
Category: 0 comentários

Pensamento do Dia

" Milagres acontecem quando a gente vai à luta"
(Poeta Sérgio Vaz)


"Viver é como andar de bicicleta: É preciso estar em constante movimento para manter o equilíbrio"

(Albert Einsten)


Seguidores